O Tempo das Cerejas 2021 com Carlota Lagido e Maria Helena Falé

By Materias Diversos

Episódio 6 > Fazendo uma ponte ao primeiro episódio deste ano e antecipando a apresentação da Companhia Maior no programa regular da Materiais Diversos no Cartaxo, falamos sobre idadismo, um preconceito associado à descriminação das pessoas idosas, sobretudo, mas não só. Para aprofundar a reflexão sobre este tema, temos connosco a Maria Helena Falé, jornalista, locutora, atriz, e a Carlota Lagido, bailarina, coreógrafa e figurinista.   Carlota Lagido, Lisboa, 1965. É bailarina, coreógrafa e figurinista. Dançou com Meg Stuart, Joana Providencia, Rui Horta, Mark Haim no início dos anos 90, e durante 20 anos com Francisco Camacho. O seu trabalho como coreógrafa e performer tem características multidisciplinares. Destaca as suas peças – notforgetnotforgive, ro.ger, Jungle Red e Mina. È figurinista desde 1988. Dirige o espaço-casa de criação e residências artísticas, O Lugar do Meio, em Alfafar. Iniciou a sua formação com Margarida de Abreu em 1977. Frequentou os Cursos de Verão da Companhia Nacional de Bailado. Prosseguiu os estudos no Curso de Formação Profissional do Ballet Gulbenkian entre 1980 e 1984 onde estudou dança clássica e moderna e no Peridance Center em Nova Iorque onde destaca a formação em dança clássica com Zvi Gotheiner.  Estudou desenho na New York Academy of Arts. É mestranda no Curso de Teatro, na especialização de Design de Cena na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Obteve nesta instituição uma pós-graduação em Design de Cena. Entre 1998 e 2020 criou: NOTFORGETNOTFORGIVE (1999-2017, Eira, T. Carlos Alberto, Museu Berardo, A Nova Velha Dança,); LILITH (1998, Black-box CCB) HISTÓRIAS QUE A MINHA MÃE NUNCA ME CONTOU (2000, Festival X, MC/IA );   DISNASTIDOG, em colaboração com Vitor Rua e João Galante ( 2001, FestivalX, Lux, Danças na Cidade. MC/IA), BB e BB2 ( ACARTE, Eira/ Serralves em Festa 2004), UGLY (2003, Eira/Citemor/Temps d’Images MC/IA);  SELF-UM AUTORETRATO EM 39 PARTES (2004, Eira/Casa d’os dias da Água/MC/IA,), MONSTER (Eira,2009), THE IMPORTANCE OF NOTHING (2012, Pogo Teatro, Festival SuperStereo, Teatro Maria Matos), A ROOM FULL OF DIRT, em colaboração com Miguel Bonneville (Temps d'Images, FCG, Negócio/ZDB, 2013), RO.GER (Temps d'Images, Mala Voadora, 2014); HOTEL FLAMINGO; 50 TONELADAS (2015, Gaivotas6, Temps d'Images Lisboa 15, TAGV, malavoadora.porto, DGARTES,);  JUNGLE RED 2017-2018 (Gnration/Arte Total, Festival Bons Sons, Festival Sons da Cidade/JACC, Festival DDD e Temps D'Images, DGARTES, GDA);  MINA  (2019-2020 (DGARTES/GDA/Cumplicidades/SãoLuiz).  Maria Helena Falé nasceu a 11/04/1946 em Aldeia-Gavinha (Alenquer). Em 1956, mudou-se para Lisboa para estudar no Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho. Entre 1966 e 1975, foi Locutora e realizadora de programas – Rádio Peninsular e Emissora Nacional/Antena 1. Entre 1975 e 1983, trabalhou como Jornalista/Pivot – Emissora Nacional e Rádio Comercial. De 1980 até 1983, na RTP 2. De 1983 a 1987, esteve em Macau como Jornalista/Pivot – TDM – Teledifusão de Macau Telejornal e Coordenação de Últimas Notícias. Em 1990 fez Voluntariado na Biblioteca Nacional – Área de Leitura Especial. Desde 2010 até hoje, que trabalha na Rádio Renascença - Passo a Rezar. Em  1998, recebe um convite da NBP/Plural para Telenovelas. Em 2004, aposenta-se. Entre 2006 e 2011, realiza a sua Licenciatura, Pós-graduação e Mestrado. De 2010 a 2013, trabalha no Teatro Trindade (3 anos). De 2012 a 2014, trabalhou como Encenadora do Grupo de Teatro Amador na empresa Imprensa Nacional - Casa da Moeda, SA. De  2014 até ao momento, integra o elenco da Companhia Maior.    

Listen to O Tempo das Cerejas 2021 com Carlota Lagido e Maria Helena Falé now.

Listen to O Tempo das Cerejas 2021 com Carlota Lagido e Maria Helena Falé in full in the Spotify app